terça-feira, 22 de junho de 2010

O turbo compressor

Como a maioria de vocês que acessam este blog diariamente responderam afirmativamente quanto ao meu questionamento sobre a postagem dos textos do meu antigo site sobre turbo compressores, aqui vai a 1ª parte dos artigos:


O TURBO COMPRESSOR PARA APLICAÇÃO EM MOTORES DE AUTOMÓVEIS

por Vinicius Fonseca

INTRODUÇÃO


O turbo compressor, ou somente turbo, como é conhecido popularmente, surgiu por volta do ano de 1905 na Suíça, com os estudos do Dr. Büchi, e nada mais é que um sobre alimentador, ou seja, um equipamento que força a admissão de ar do motor, sendo este sistema composto basicamente por cerca de 25 peças, das quais as mais importantes são o rotor/ixo da turbina, a carcaça central e o rotor do compressor.


HISTÓRIA

Em 1885 Gottlieb Daimler realizou as primeiras experiências com sobre alimentação por gases do escape, mas foi em 1905 que o Dr. Alfred J. Büchi, então engenheiro-chefe do Grupo Sulzer desenvolveu e patenteou em Winterthur - Suíça os primeiros estudos sobre um turbo compressor que utiliza como força motora os gases do escape, mas somente entre 1909 e 1912 é que foram construídos os primeiros motores turbo alimentados do mundo.

Paradas à cerca de 18 anos, as pesquisas sobre os turbo compressores foram retomadas durante as décadas de 30 e 40, tendo como objetivo solucionar os muitos problemas do projeto original e facilitar a comercialização em escala, o que foi conseguido primeiro na Europa e logo após nos E.U.A, sendo que o primeiro motor de série a trabalhar com a tecnologia do turbo foi construído em 1938 e era movido a diesel.

Na Segunda Guerra Mundial a empresa General Eletric desenvolveu turbo compressores para utilização em aviões militares, fazendo um enorme sucesso nesse tipo de aplicação, já que a sobre-alimentação ajuda a melhorar a performance das aeronaves principalmente em grandes altitudes, onde o ar possui muita densidade. Após esse fato as pesquisas de utilização do sistema de turbo compressor nos motores de automóveis cresceram e ocorreu então um enorme desenvolvimento também nesse tipo de aplicação, quando por volta do ano de 1962 a General Motors realizou grandes investimentos na nova tecnologia e equipou alguns modelos de seus carros e de suas subsidiárias com o turbo compressor, entre eles o Chevrolet Corvair, que devido à má qualidade do projeto original do automóvel, aliado a baixa qualidade do sistema de sobre alimentação, ainda arcaico, que não oferecia grande confiabilidade e um turbo lag bastante alto, não alcançou sucesso no mercado. Anos depois chega a vez de uma montadora européia oferecer um modelo turbo comprimido, com o BMW 2002 Turbo, lançado em 1973, que tinha um grande desempenho, mas também sofria com um grande turbo lag e uma entrega de potência nada progressiva. Somente em 1975, o problema de turbo lag excessivo foi resolvido com o lançamento do Porsche 911 Turbo, que se encontra em produção até hoje devido ao sucesso obtido.

Hoje os sistemas de turbo alimentação estão presentes na grande maioria dos motores de utilitários, caminhões e ônibus equipados com motores Diesel, e em automóveis com propostas mais esportivas, mas não se restringindo somente a caros super esportivos, pois tivemos inclusive em nosso país a fabricação do Gol 1.0 16V Turbo, que alcançava interessantes 112 cv, potência semelhante ao seu irmão equipado com um motor que possui o dobro de cilindrada cúbica (2.0). Fora do campo automotivo, a sobre alimentação por turbo compressor está presente na industria náutica, agrícola etc, impulsionando o desenvolvimento e crescimento global.

Da década de 40 até hoje os sistemas de turbo compressor não sofreram modificações drásticas, e as maiores evoluções são os componentes construídos com materiais mais leves e resistentes e também os turbo compressores de geometria variável, em que as turbinas possuem rotores com pás móveis que variam de posição conforme as necessidades de utilização.


Chevrolet Corvair



BMW 2002 Turbo


Porsche 911 Turbo


Espero que tenham gostado. Sintam-se a vontade para sugerir, criticar, complementar.


Semana que vem tem o próximo capítulo.

2 comentários:

  1. Não cheguei a ler tudo pela hora, mas até onde li é muito bom, show de postagem.

    Abraços

    ResponderExcluir